Nosso Endereço

Sindicato dos Servidores Públicos da Polícia Civil do Estado do Pará

Trav.: Pirajá, nº 2008 - CEP.: 66095-632-Bairro: Marco

Entre: Almirante Barroso e João Paulo II

 

Horário: 8h às 12h das 14h às 18h - Segunda a sexta


Contatos: (91) 2121-0597 2121-0604

E-mail: hti.sindpol.pa@gmail.com

© 2016 Sindpol - Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado do Pará.

                           

INFORME SINDPOL: COBRAPOL defende modernização da Polícia Civil em reunião com Maia e em Comissão da Câmara dos Deputados

27/09/2019

24 de setembro de 2019  Cobrapol  Destaques, Notícias

 

 

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado promoveu nesta terça (24) Audiência Pública para discutir o tema “O modelo de política no Brasil” com a participação de representantes de instituições e representações da segurança pública.

O presidente da FEIPOL-NORTE, Itamir Lima, representou a COBRAPOL na mesa dos trabalhos quando fez uma explanação do projeto da entidade para uma nova Lei Orgânica Nacional para a Modernização da Polícia Civil.

O dirigente apresentou dados sobre o atual contexto da segurança pública no país; abordou o atual modelo que está implantado no país e seus problemas; explanou sobre os principais aspectos da proposta defendida pela COBRAPOL, com destaque para o Ciclo Completo e a Carreira Única; e falou das consequências da implantação desse modelo para tornar a instituição mais eficiente no desempenho de sua missão de defender o cidadão e a sociedade.

O presidente da Confederação, André Luiz Gutierrez, presente à Audiência, fez uso da palavra para apontar os principais aspectos da proposta de Lei Orgânica que já foi encaminhado ao governo, através da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (SENASP) e às lideranças do Congresso Nacional.

Gutierrez cumprimentou os parlamentares da Comissão pela iniciativa e negou que o projeto da COBRAPOL seja classista: “tanto que não é um projeto classista que a proposta mantém o bacharelado (em direito) e a figura do delegado de polícia e não é qualquer um que vai se tornar delegado de polícia, pois terá que passar por avaliações ao longo de um período”.

O presidente argumentou que com a proposta “nós vamos legalizar o que já é feito, pois nós sabemos que não existem delegados em todas as cidades e delegacias do Brasil, quiçá para fazer uma escala de 24 por 72 horas, pois teríamos que ter quatro delegados por delegacia de modo a que quando chegasse uma viatura da PM ou da PRF tivesse um pronto atendimento, mas sabemos que essa não é a realidade”.

Dirigindo-se aos representantes dos delegados de polícia, Gutierrez afirmou: “eu entendo a defesa classista e de seu cargo e estou buscando o diálogo, mas nós temos que pensar hoje é no cidadão brasileiro, não temos que pensar no policial ou no cargo. A nossa Polícia Civil está da maneira como está, com falta de efetivo, por causa de uma luta de classe em busca de um carreira jurídica que esqueceu da instituição como gestores. Infelizmente, não estou falando para ofender ninguém, mas é uma realidade. Não houve luta por concurso, não houve luta por efetivo, por reciclagem, por atualização do profissional Policial Civil”, sustentou.

E acrescentou: “nosso projeto, além de preservar o delegado de policia e o bacharelado, não prejudica em nada os atuais delegados de polícia. Mas podem ter certeza que a evolução que esse projeto vai trazer e a expertise que vai trazer para a função de delegado de polícia vai gerar um grande estímulo em ser policial vocacionado e vai eliminar os concurseiros, pois como todos sabem muitos fazem concurso para delegado de polícia, deixam  o escrivão e o agente fazendo as atribuições do delegado, e ficam se preparando para a magistratura, para o Ministério Público ou a Defensoria Pública”, explicou.

Gutierrez concluiu sua intervenção enfatizando que “nosso projeto não é classista e objetiva dar à população uma Polícia Civil de qualidade”, colocando-se à disposição para o debate:  “se não fizermos isso, se não ajustarmos isso internamente, seremos engolidos pelo ciclo completo e por outras instituições” enfatizou.

 

AUDIÊNCIA COM RODRIGO MAIA

 

O presidente da COBRAPOL, acompanhado do deputado Léo Moraes (PODEMOS-RO), foi recebido nesta terça (24) pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, ocasião em que o dirigente teve a oportunidade de defender o projeto da Lei Orgânica Nacional da Polícia Civil e apresentar as linhas gerais da proposta (Ciclo Completo e Carreira Única), que busca modernizar a instituição e torná-la mais eficiente na segurança pública nacional.

Please reload

Notícias em Destaque

Certidão da comissão eleitoral para diretoria executiva e conselho fiscal do Sindpol/PA para o pleito 2018 e triênio 2019/2021.

23.8.2018

1/10
Please reload

Notícias Recentes 
Please reload